Cinema

A Onda (“Die Welle”) é um filme alemão de 2008, dirigido por Dennis Gansel. No enredo, o professor Rainer Wenger começa a ministrar aula de autocracia para adolescentes em uma escola de ensino secundário. Como se sabe, autocracia consiste em uma forma de ditadura; de governo absolutista. Por isso, logo no início das aulas, Wenger indaga a seus alunos se, na Alemanha contemporânea, seria possível a existência de um novo governo nazista, e recebe um sonoro “não” dos alunos. Em resposta, e com um certo tom desafiador, o professor diz que não estaria tão certo disso. E mais: que a massa social é facilmente manipulável, o que gera certo desdém por parte dos adolescentes.

“360 graus” é um filme dirigido por Fernando Meirelles, lançado em 2012, e tem em seu elenco Anthony Hopkins, Bens Foster, Rachel Wisz e Jude Law. Baseou-se na peça “A Ronda”, do austríaco Arthur Schnitzler. O filme não conta apenas uma história, mas nove histórias que se desenrolam simultaneamente em vários países (Áustria, Eslováquia, Brasil, França, Inglaterra, e Estados Unidos), as quais, em certos momentos, se entrelaçam.

“Sunset Boulevard”, no original, e “Crepúsculo dos Deuses”, no Brasil, é um filme americano dos anos 1950, dirigido por Billy Wilder. O título original faz referência a uma das ruas mais famosas de Los Angeles, sede de Hollywood. Seu enredo traz a personagem Norma Desmond (Gloria Swanson), já idosa, que fez sucesso no cinema mudo, mas caiu no ostracismo. Ela mora em uma mansão decadente em companhia apenas de seu mordomo. Apesar disso, ainda sonha com um retorno triunfal ao cinema. Norma tem muita pompa, porém há tempos está esquecida. Poucos se lembram de seu nome e ela não se conforma com isto. O filme ainda traz um crime a ser desvendado, para dar um toque de suspense.

Persona (1966) é um filme sueco, com roteiro, direção e produção de Ingmar Bergman (1918-2007). Bergman é considerado um dos grandes nomes da História do Cinema. Seus filmes tratam de questões existenciais, como morte, solidão, angústia, fé, mitos. Sua obra teve grande influência de Carl G. Jung e de Søren A. Kierkegaard. Isto fica nítido em Persona.

O que move o ser humano na vida? O filme japonês “O que eu mais desejo” (Kiseki – 2012) traz algumas boas sugestões a respeito. Aliás, o próprio título já se inclina nesse sentido.

Janela Indiscreta (“Rear Window”/EUA/1954) é um clássico do cinema. O roteiro é inspirado em um conto de Cornell Woolrich, com o título “It had to be murder”. O filme tem em seu elenco James Stewart, Grace Kelly, Wendell Corey, Thelma Ritter e direção de Alfred Hitchcock. Este último responsável por outros marcos do cinema como Disque M para Matar, Festim Diabólico, Os Pássaros, Um Corpo que Cai, Psicose, o Homem que Sabia Demais. Hitchcock, em Janela Indiscreta, mantém sua marca ao aparecer em uma das cenas, aos 25 minutos, ao ajustar o relógio de um dos personagens.

Babel é uma produção realizada entre Estados Unidos e México, em 2006, com direção de Alejandro González Iñarritu e roteiro de Guilhermo Arriaga. É o último filme da trilogia composta também por Amores Brutos e 21 Gramas. Traz em seu elenco Brad Pitt, Cate Blanchett e Kôji Yakusho.

“A Felicidade não se Compra” (1946), cujo título original é “It’s a Wonderful Life”, tem a direção de Frank Capra e se trata de um dos clássico da sétima arte. Apesar de, em alguns momentos, apresentar-se pueril para os dias de hoje, destaca-se ao abordar temas ligados ao ser humano, como individualismo, ganância e vingança, além de solidariedade, compaixão e amor. Destaca, também, a importância de cada ser humano e a forma como este interfere na vida daqueles que dele se aproximam ou com ele convivem, formando ampla e complexa teia de relações com os mais variados desdobramentos fáticos.

Página 4 de 4