Pinturas

A busca pelo autoconhecimento parece estar presente na obra de Rembrandt (1606-1669). Ou seja, a milenar advertência inscrita no inscrito no Templo de Apolo em Delfos: “Conhece-te a ti mesmo” (“γνώσει σαυτὸν“).

Na gravura acima, o holandês Maurits Cornelis Escher (1898-1972) parece expressar o mundo como dois contrários que existem; se interpenetram e se complementam, o que possibilita o equilíbrio do todo.

A pintura de Eliseu Visconti chama a atenção por vários aspectos. Primeiro, o que se observa é um cenário maravilhoso – possivelmente o Jardim de Luxemburgo em Paris -, com destaque para matizes de verde, um céu azul envolto em nuvens e um brilho de sol inspirador. 

 Segundo a escritora francesa Anaïs Nin (1903-1977): “não vemos as coisas como são: vemos as coisas como nós somos.”

Página 4 de 6